O CRIME

A motivação: ambição, ganância

A premeditação foi reconhecida pelo júri e expressa com clareza na sentença: ajustando com terceira pessoa  o cometimento do delito”

 

O crime: 

Um ator medíocre, em busca do estrelato. Escolhido para um papel secundário na novela das 21 horas, onde faria o elemento atrapalhador do romance de Yasmin (Daniella Perez) e Caio (Fábio Assumpção), acredita que suas chances de sobrepujar o galã (Fábio), esteja numa aproximação com a filha da autora. Tenta ficar amigo. O cerco interesseiro e pegajoso é detectado. Incomodada com a insistência dos pedidos para aumentar seu papel, Daniella começa a evitá-lo. Coincidentemente, ele vê sua participação  reduzida naquele bloco.

Acreditando que sua carreira estava sendo prejudicada por Daniella (como afirmou à polícia e como seus primeiros advogados alardearam nos jornais da época), trama, junto com a mulher, Paula Thomaz, o assassinato. E para selar o pacto criminoso,  fazem uma tatuagem nos órgãos genitais, onde um escreve o nome do outro. No dele, PAULA, em toda a sua extensão. No dela, GUILHERME.

 Naquela semana, entregue o bloco de capítulos (seis), sua personagem não aparecia em 2 deles. O psicopata desespera. Quer conversar, pedir explicações.  No dia do crime, elenco e produção da novela assistem, incomodados, à intensificação do cerco e as tentativas de Daniella de se esquivar dele. Sandro Solviatti pergunta à Daniella: “você já contou pra sua mãe que esse sujeito está lhe perseguindo?” Daniella responde que não. Não quer prejudicar ninguém. E Sandro responde: “Se você não contar hoje, amanhã eu ligo pra sua mãe e conto!”Num intervalo das gravações daquele dia, o assassino pede um relógio emprestado ao camareiro e vai a Copacabana com a camisa de cena, buscar a cúmplice Paula Thomaz, que fica de tocaia, durante 10 a 15 minutos coberta por um lençol no banco traseiro de um carro (um Santana) com a placa adulterada.

No páteo da Tycoon, à hora da saída (as gravações acabaram às 21 horas), crianças pedem fotos com Yasmin e Bira. Eles tiram as fotos. Guilherme sai (num carro que não era o dele), tendo o motorista das crianças o seguido. Motorista e crianças vêem que ele pára logo adiante, no acostamento de um posto de gasolina. As crianças insistem em ficar, mas o motorista segue para casa. Ali, Guilherme de Pádua é visto e reconhecido pelos frentistas.

Daniella sai minutos depois dele da Tycoon e pára no posto, onde abastece o carro. E ao sair do posto, mais precisamente ao embicar para pegar a estrada principal, o carro dos assassinos avança, fazendo a interceptação que é assistida pelos frentistas. Ela sai do carro cobrando explicações, ele a desacorda com um soco e a atira no interior do Santana, que sai dirigido por Paula Thomaz. Guilherme assume a direção do Escorte de Daniella.

Minutos depois, -sim, minutos depois, os moradores de um condomínio da barra, próximo a um matagal sinistro e sem nenhuma iluminação, avisam a policia sobre a presença de dois carros suspeitos. O advogado Hugo da Silveira, que passava o natal no Rio, pega seu carro e dá duas voltas pelo matagal, de modo a anotar as placas.

A polícia chega e encontra só o carro de Daniella ali. Descobre, pelos documentos, que o carro pertence a Raul Gazzola. Como de praxe, um dos policiais vai até a delegacia e o outro fica guardando o carro abandonado. Sendo o matagal sinistro e perigoso, o policial, mesmo armado, acha por bem resguardar-se atrás de uma árvore. E tropeça no corpo de Daniella.

Foram 18 estocadas no coração e no pescoço.Um violento soco na face direita, de acordo com os laudos periciais, aplicado minutos antes da morte. Nenhuma lesão de defesa. No tênis, os sinais de arrastamento: a sola deles mostrava claramente que ela não  havia ficado de pé naquele terreno, tendo sido atirada ali. Nenhuma gota de sangue no local nem no corpo, ainda que a causa mortis tenha sido, segundo o IML, anemia aguda, que se caracteriza por intensa perda de sangue.

Para onde foi o sangue? Os dois assassinos não contaram. Saíram do local roubando as bolsas de Daniella, os seis mil dólares que ela levava  para fazer o pagamento de um carro e sua aliança de casamento. Na polícia disseram que levaram a bolsa para simular assalto: nunca devolveram nada!

Saíram dali para o primeiro posto de gasolina, onde pagaram uma quantia alta para que o frentista fizesse o proibido: lavasse o sangue de Daniella do banco traseiro do Santana. Naquela mesma noite foram à delegacia, no carro onde cometeram o crime, para abraçar nossa família e prestar condolências. Inesquecível para todos os presentes, o momento em que o criminoso aperta Raul num abraço dizendo: “Força, cara. Eu estou aqui”. E sai de lá recomendando à produtora Marcela Honignan que o avisasse da hora do enterro, porque fazia questao de estar do meu lado! Certos de que a encenação tinha sido perfeita, foram pra casa e dormiram tranquilamente, até serem acordados pela policia.

 Foi uma execução. Um crime covarde e premeditado. Dany morreu por volta das 21.30, segundo a perícia. De acordo com a planilha de entrada e saída de veículos, ela saiu do estacionamento por volta das 21.10. São 6 minutos da Tycoon até o matagal onde o corpo  foi encontrado. Desconte ainda o tempo no posto de gasolina.  E a hora da morte foi registrada em torno das 21.30

Ambos reivindicaram o direito de “só falar em juízo”, e se negaram a fazer a reconstituição de todas as versões mirabolantes que contaram. Durante os cinco anos de espera pelo julgamento, testaram inúmeras e diversas versões através da imprensa, enquanto tinham os pedidos de habeas corpus negados por todas as instâncias do judiciário.

De nada adiantaram as versões fantasiosas: em 1997 os dois foram julgados e condenados por homicídio duplamente qualificado, por motivo torpe e através de meio que tornou impossível que ela se defendesse.

Na sentença de Paula Thomaz, julgada em data posterior à dele, o juiz registra com todas as letras a premeditação: “acordando com terceiro o cometimento do crime”.

Assista o video
Compartilhe
Share on Facebook0Tweet about this on Twitter0Share on LinkedIn0Email this to someone

, , , , , , , , ,

71 Responses to O CRIME

  1. Anônimo 20/12/2016 at 8:29 pm #

    Estava em Porto Seguro no dia do crime. Tinha acabado de completar 18 anos. Não era de assistir novelas mas lembro bem da Dany na Tv, afinal, era uma menina linda. O crime me chocou e depois mais ainda ao saber que fora cometido por um colega de trabalho que teve a cara de pau de confortar a família antes de ser descoberto. Esse caso fez e faz parte de minha vida. São nomes que não se esquece. Já não vivo no Brasil desde 1997 mas vira e mexe busco na internet para saber o paradeiro dos assassinos. Saber onde estão. O que fazem. Não da pra entender mas sei que no fundo eles jamais terão (e nem merecem) paz interior. Vão carregar pra sempre essa culpa. Parabéns Glória, pela força e coragem. Não pare de divulgar nunca. Esse crime não pode ser esquecido, nem os assassinos. Jamais nos esqueceremos. Jamais.

  2. Clau 30/10/2016 at 5:57 pm #

    Sim… diariamente mães perdem seus filhos… ricos ou pobres! Para as mães que enterram seus filhos não há dor maior! A questão aqui não é só do caso da Daniela, mas o desrespeito pela existência humana. Por qual motivo esse merdinha (Guilherme) se sentiu no direito de ceifar a vida da filha da Glória?
    Eu sei por qual motivo…Pela completa certeza da impunidade! Hoje ele está aí… vivendo e se divertindo, aproveitando tudo o que o mundo tem para oferecer… parece justo? ao menos parece correto?
    Bem… para mim não. Certamente eu teria uma surpresinha esperando os dois assassinos…. posso garantir que a referida surpresa envolveria uma tesoura bem afiada!

  3. Heloísa da Rosa Silva 23/10/2016 at 1:08 am #

    Fico me perguntando se os pais dos assassinos em algum momento se manifestaram. Será que eles nao sentem vergonha?

  4. Cris 20/09/2016 at 4:55 pm #

    E o assasino agora pagando de crentinho… que visita presidio e tudo mais ele era quem deveria está morfando ate hj num presidio e levando um monte de pancada fdp a morte é pouco perto do que essesinho ai merece…

  5. ANÔNIMO 16/09/2016 at 10:22 pm #

    ASSASSINO MALDITO, DESGRAÇADO. O BRASIL E O PAÍS DA IPUNIDADE, E SE DEPENDER DE ””””’NOSSOS””””’ POLITICOS, NUNCA MUDARÁ.

  6. Marco Kbral 16/09/2016 at 6:52 pm #

    Era menino quando tudo aconteceu!!! Minha família ficou estarrecida!!! Admiro a sua luta pela vida, pois como dizia minha mãe, há pouco desencarnada, a dor da perda de um filho se faz imensurável. Que Deus possa nos confortar sempre!!! Amo sua escrita e bravura!!! Amo você!!!

  7. Junior 29/08/2016 at 5:48 am #

    O que mais me deixa chocado é isto: https://www.instagram.com/guilhermedepaduathomaz/

    Esta aí o assassino, vivendo uma vida normal, como se nada tivesse acontecido. É chocante ver os vídeos da época, a comoção do público, as manchetes dizendo que ele era um monstro, cruel, o circo em cima do julgamento dizendo que a justiça estava sendo feita.

    E agora você entra aí no perfil dele e percebe que tudo virou pó. A dor na Glória permanece, a Daniela nunca pode ter sua vida de volta e ele está aí, normalmente, como eu e você que nunca cometeu algum crime.

    Isso fez também com que eu pensasse que daqui alguns anos, quando a poeira baixar, os Nardonis também estarão por aí, assim como a Susane que já está em regime semi aberto e recebendo induto DE DIA DAS MÃES E DOIS PAIS!!!

  8. Juciara 11/08/2016 at 12:38 pm #

    Como pode depois de anos me chocar ainda com a notícia ! Deus conforte o coração da mãe e familiares

  9. Elisa Serpa 28/05/2016 at 6:59 pm #

    Querida Glória

    À época do crime tenebroso, eu acompanhava a sua novela, diariamente! Meu núcleo favorito era o da Dani. Quanto ao Bira, não gostava muito da interpretação do assassino, pois achava que ele gritava muito e apertava, com muita força, o braço da Dani, em cena.

    A interpretação da Dani me encantava, pelo rosto belo e expressivo e pelas danças, cheias de técnica e emoção!
    Quando tomei conhecimento da tragédia, que vitimou a Dani, chorei muito e fiquei indignada com a impressão das fotos do cadáver da Dani em jornais e revistas! Desnecessário, chocante e brutal!

    Gostaria que você soubesse que admiro muito você como mãe, mulher, escritora e historiadora.

    Procuro honrar, respeitar e manter vivos a memória e o talento da Dani, aatravés de grupos do Facebook em homenagem a ela!
    Desprezo muito os assassinos e repudio o fato do assassino faturar alto difamando a Dani!

    Fique com Deus, amada! Obrigada pela minissérie Desejo, seu trabalho mais primoroso e inesquecível! Do Céu a sua linda e talentosa Dani lhe aplaude e proteje!

  10. luaba 22/05/2016 at 9:25 pm #

    lembro perfeitamente do dia que saiu a notícia…um amigo meu chegou na minha casa e disse ” o Bira matou Yashmin” eu falei ue ( achando que era n novelA). Ele disse: ” não! foi n vida real”.
    Lembro da sensação até hoje….

    tocou o tema da Yashmin direto nas rådios..

    a justiça ainda n foi feita porém, vão pagar nesta vida ainda.

  11. Karina 28/03/2016 at 5:06 pm #

    Eu na época tinha 20 anos, estudava muito p passar no vestibular de uma universidade pública aqui em Salvador. Lembro q foi a única coisa na televisão q me tirou a cara dos estudos. Fiquei chocada. Ela tinha quase minha idade. Assim como eu cheia de planos p o futuro… e morrer daquele jeito… Tive muito ódio dos assassinos, nunca entendi a motivação do crime. Hj sou médica, professora universitária e mãe, e a única explicação é a mente psicopata dos dois. Hoje também, compreendo c maior profundidade a dor da mãe da Dany e a revolta. Muita admiração por esta mulher, escritora, intelectual e acima de tudo uma cidadã q não se calou perante a tragédia da filha e buscou justiça. Não tenho mais ódio dos assassinos, tenho desprezo e a ctz q a justiça Divina foi feita!

  12. Leonardo 09/01/2016 at 10:23 pm #

    Nesta época eu tinha apenas oito anos e vivia no interior do sul do Brasil. Minhas únicas diversões eram escutar um pequeno rádio branco a pilhas que ficava ao lado da minha cama e assistir a novela das 21h no quarto dos meus pais. Meu pai trabalhava em outra cidade e só vinha aos finais de semana. Minha mãe sempre pedia a uma amiga que dormisse na nossa casa a fim de nos fazer companhia. Ela se sentia mais segura assim. Indaguei minha mãe querendo saber por que ela tinha tanto medo por nós se apenas tínhamos bons amigos. Na tentativa de me explicar, minha mãe disse que às vezes o perigo poderia estar escondido até de um vizinho prestativo. Claro que eu não fui capaz de entendê-la nesse momento, afinal, eu era apenas uma criança que só saia de casa para ir à escola. No dia seguinte a morte da Dany, eu acordei e liguei meu rádio e escutei a notícia. Corri até até o quarto da minha mãe que ficou incrédula. Não era uma época fácil para nossa família, nossos únicos ídolos e alegrias vinham dos personagens da novela das 21h, em especial a Yasmin, personagem da Dany. Era algo doce e suave sentar a frente da tv todos os dias para ver o sorriso e os delicados traços dessa menina que nos arrancaram tão brutalmente. Lembro do sofrimento da minha mãe e da minha avó. Minha avó chorava por uma filha que não havia nascido dela e minha mãe chorava pelo sofrimento de outra mãe, distante, que ela nem sequer conhecia pessoalmente, Glória Perez.
    Esse crime abalou todas as famílias, das mais simples, como a minha, até as mais afortunadas. Então passei a entender o medo de minha mãe. Hoje tenho 31 anos, não moro mais no Brasil, vivo em uma grande cidade, longe daquela vida simples de interior e todos os anos no dia 28 de dezembro eu paro por pelo menos um momento deste dia e elevo meu pensamento a essa menina que tanta alegria nos levou através da sua atuação e da sua dança a nossa vida simples de outrora. Obrigado sempre, Dany!

  13. Glaucia 31/12/2015 at 3:26 am #

    Estou em choque!! Por acaso acabo de encontrar o perfil do Guilherme no facebook..e surpresa: uma vida normal, como se nada tivesse acontecido! Meu Deussss, que sensação ruim, que pavor, que angustia! Na época eu tinha 7 anos, não costumo lembrar de muita coisa, meio que sem explicação lembro de cada detalhe: a música dela, a novela, meu choro, meu isolamento, meu medo de sair na rua.. Eu chorava pela Daniela todo dia! Chorava e ainda choro! Chorei muito nesses anos todos! Imagino ela hj, os filhos, a carreira.. Que dor me deu ver o face desse monstro, que dor..

  14. Rose 30/12/2015 at 2:02 pm #

    Qualquer pessoa no Brasil neste ano, lembra o que estava fazendo neste dia triste, tinha 22 anos também, lembro que anunciou na radio de Lins SP, eu fiquei meio sem entender e contei para minha irmã, e fomos na casa de uma prima, e no caminho as pessoas faziam rodinhas comentando o crime assustadas, o que dói e esta lei do Brasil, onde ja se viu estes dois criminosos estar soltos?? se fosse nos USA teriam pego prisão perpétua, estão achando que ja pagaram pelo crime, um esta se achando por que virou evangélico a outra se esconde de câmeras nas rua pela vergonha de ser uma assassina, estes dois ainda não foram julgados pela justiça divina, desta ele não vão escapar.

  15. Jade 28/12/2015 at 5:43 pm #

    Na época do crime eu tinha 26 anos. Nesse tempo assistia à novelas que hoje em dia não vejo mais. Lembro como se fosse hoje, quando eu e minha família ficamos chocadíssimos com o crime. Ficamos tão impressionados que lembro que nas noites posteriores não conseguíamos dormir e acendíamos velas pra Dany, pedindo á sua alma que encontrasse paz e que esteja ela onde estivesse que ficasse bem. Rezamos também pela família, Gloria, Raul….foi como se fosse um membro de minha família. Nem dá pra acreditar que já se passaram 23 anos. Jamais esqueceremos esse crime e todos os anos nos lembramos sempre dela. Todos de casa e amigos que eram já maiores de 18 anos assinamos o que hoje mudou a Lei para crimes hediondos. Pena que na época do crime não valeu a nova Lei, mas sentimos muito, mas muito orgulho de termos ajudado a mudar essa Lei!

  16. KF 28/12/2015 at 4:17 am #

    acho que fica claro que mataram a Dani no carro do GDP
    apunhalaram o pescoço da Dani,mas antes devem ter tiraram a blusa dela para não sujar porque vi esse ano uma pagina da revista Contigo da época que fala sobre uma entrevista que ele deu que diz que ele ficou pensando no seios da Dani e quando encontraram o corpo dela ela estava com a blusa normal,não teria como ele ter visto (acho) cortando o pescoço deve ter ido sangue para todo os lados do carro por isso lavaram e fizeram de tudo para impedir a policia de periciar como se deve.Devem ter limpado o corpo, colocado a blusa e arrastado até o local aonde deram as punhaladas no coração (vi uma foto da blusa e parece que não tinha sangue tb) devem ter usado o sangue em um ritual na mesma noite e acho que até hoje aquele psicopata deve guardar a aliança da Dani como troféu.Eu era criança na epoca me chocou tanto o que aconteceu,se passaram os anos e o amor e o carinho que eu tinha pela Dani a 23 anos atras continua o mesmo.

  17. Rodrigo 03/12/2015 at 2:10 pm #

    oi Gloria praser eu tinha 10 anos e foi a primeira vez que senti dor por perder um ente querido a Dani era como se fosse uma pessoa da familia e ate hoje eu lembro dos momentos alegre de Yasmin forca guerrera vc não esta sozinha nessa luta e o que eu puder faser pra botar esses assassinos na cadeia eu vou faser um beijo minha amiga Gloria morreu a pessoua mas o mito ficou pra sempre em nossos corações DANIELA PEREZ.

  18. Ariela 30/11/2015 at 9:26 pm #

    Vai chegando o final do ano, começo a rever e reler tudo o que tenho de material da Dany e parece que o tempo começa a voltar, que é Dezembro de 1992 novamente, que a novela das oito é De Corpo e Alma, que a Yasmin está no ar… Nessa época, a sinto mais viva do que nunca e parece que não se passou um dia sequer… Ela era tão novinha, tão talentosa…É tudo tão absurdo, não havia a mínima necessidade de terem feito isso. Sinto muita saudade.Cada vez mais…

  19. Carolina 19/11/2015 at 6:33 pm #

    Também era criança na época, incrível ler os comentários e perceber como esse crime nos chocou tanto (mesmo sendo crianças) … Era fã dela,achava ela linda,uma inspiração… Que triste hoje sendo uma adulta,mãe, mulher,perceber que esse tipo de crime toma cada vez mais espaço no nosso País, e infelizmente, muitos deles acabam impunes.

  20. Alexandra Lobo 17/11/2015 at 8:07 am #

    Glória,

    Sou mãe, fico desesperada só de imaginar a sua dor…É revoltante saber que esses dois assassinos estão livres! Eles representam um risco alto à sociedade, são frios e psicopatas! É muito triste saber que eles não estão na cadeia! Merecia passar o resto da vida lá! Você lutou bravamente para que a justiça não falhasse, mas embora a justiça aqui na terra seja muito falha, acredito na lei do retorno! Que Deus conceda muita sabedoria e força na sua caminhada! A dor é constante, você sempre terá sua filha pertinho, sempre encontrará mó seu coração aquele anjo lindo que você amou mesmo antes de conhecer…Que Deus abençoe infinitamente seus passos!!!!

  21. Erica 27/10/2015 at 1:00 pm #

    Ah que tristeza Relembrar de tanto sofrimento. Uma atriz, dançarina, esposa, filha, amiga de tantas pessoas, irma e referencia para tantas meninas Ali perdida em um matagal sem sabermos o que havia ocorrido p tanta barbaridade. Eu com 14 anos chorava, chorava e chorava. Ficava atenta a tv, revistas e jornais. Eh inimaginavel o sofrimento da mae, pai, parentes e amigos proximos. Nos de longe sofriamos e sofremos ate hj, logo n da p imaginar o quanto eh doloroso a perda absurda da Daniella. Comove, entristece, revolta, saudade… muitas emoçoes ao lembrar. Para sempre lembrarei dela e sempre irei admirar a força desta mae q ate hj luta. Eternamente Daniella Perez.

Leave a Reply

Powered by WordPress. Designed by Woo Themes