O CRIME

A motivação: ambição, ganância

A premeditação foi reconhecida pelo júri e expressa com clareza na sentença: ajustando com terceira pessoa  o cometimento do delito

 

O crime: 

Um ator medíocre, em busca do estrelato. Escolhido para um papel secundário na novela das 21 horas, onde faria o elemento atrapalhador do romance de Yasmin (Daniella Perez) e Caio (Fábio Assumpção), acredita que suas chances de sobrepujar o galã (Fábio), esteja numa aproximação com a filha da autora. Tenta ficar amigo. O cerco interesseiro e pegajoso é detectado. Incomodada com a insistência dos pedidos para aumentar seu papel, Daniella começa a evitá-lo. Coincidentemente, ele vê sua participação  reduzida naquele bloco.Acreditando que sua carreira estava sendo prejudicado, trama, junto com a mulher, Paula Thomaz, o assassinato. E para selar o pacto criminoso,  fazem uma tatuagem nos órgãos genitais, onde um escreve o nome do outro. No dele, PAULA, em toda a sua extensão. No dela, GUILHERME.

 Naquela semana, entregue o bloco de capítulos (seis), sua personagem não aparecia em 2 deles. O psicopata desespera. Quer conversar, pedir explicações.  No dia do crime, elenco e produção da novela assistem, incomodados, à intensificação do cerco e as tentativas de Daniella de se esquivar dele. Sandro Solviatti pergunta à Daniella: “você já contou pra sua mãe que esse sujeito está lhe perseguindo?” Daniella responde que não. Não quer prejudicar ninguém. E Sandro responde: “Se você não contar hoje, amanhã eu ligo pra sua mãe e conto!” .

 

 

Num intervalo das gravações daquele dia, o assassino pede um relógio emprestado ao camareiro Correa e vai a Copacabana com a camisa de cena, buscar a cúmplice Paula Thomaz. Entra no estúdio para gravar sua última cena enquanto ela fica de tocaia, durante 10 a 15 minutos coberta por um lençol no banco traseiro de um carro (um Santana) com a placa adulterada.

No páteo da Tycoon, à hora da saída (as gravações acabaram às 21 horas), crianças pedem fotos com Yasmin e Bira. Eles tiram as fotos. Guilherme sai (num carro que não era o dele). A pedido das crianças que pediram a foto, o motorista o seguiu.  Ele  pára logo adiante, no acostamento de um posto de gasolina. As crianças insistem em ficar, mas o motorista segue para casa. Ali, Guilherme de Pádua é visto e reconhecido pelos frentistas.

Daniella sai minutos depois dele da Tycoon e pára no posto, onde abastece o carro. E ao sair do posto, mais precisamente ao embicar para pegar a estrada principal, o carro dos assassinos avança, fazendo a interceptação que é assistida pelos frentistas. Ela sai do carro cobrando explicações, ele a desacorda com um soco e a atira no interior do Santana, que sai dirigido por Paula Thomaz. Guilherme assume a direção do Escorte de Daniella.

Minutos depois, -sim, minutos depois, os moradores de um condomínio da barra, próximo a um matagal sinistro e sem nenhuma iluminação, avisam a policia sobre a presença de dois carros suspeitos. O advogado Hugo da Silveira dera o alarme. A caminho da casa da filha viu os carros vazios. Deu outra volta para ter chance de anotar as placas. e foi nessa segunda volta que anotou a placa adulterada e viu o casal dentro do Santana. A mulher de rosto redondo que ele reconheceu, mais tarde, como Paula Thomaz.

A polícia chega e encontra só o carro de Daniella ali. Descobre, pelos documentos, que o carro pertence a Raul Gazzola. Como de praxe, um dos policiais vai até a delegacia e o outro fica guardando o carro abandonado. Sendo o matagal sinistro e perigoso, o policial que ficou diz em depoimento que, mesmo armado, achou por bem resguardar-se atrás de uma árvore. E tropeçou no corpo de Daniella.

Foram 18 estocadas no coração e no pescoço.Um violento soco na face direita, de acordo com os laudos periciais, aplicado minutos antes da morte. Nenhuma lesão de defesa. No tênis, os sinais de arrastamento: a sola deles mostrava claramente que ela não  havia ficado de pé naquele terreno, tendo sido atirada ali. Nenhuma gota de sangue no local nem no corpo, ainda que a causa mortis tenha sido, segundo o IML, anemia aguda, que se caracteriza por intensa perda de sangue.

Para onde foi o sangue? Os dois assassinos não contaram. Saíram do local roubando as bolsas de Daniella, os seis mil dólares que ela levava  para fazer o pagamento de um carro e sua aliança de casamento. Na polícia disseram que levaram a bolsa para simular assalto: nunca devolveram nada!

Saíram dali para o primeiro posto de gasolina, onde pagaram uma quantia alta para que o frentista fizesse o proibido: lavasse o sangue de Daniella do banco traseiro do Santana. Naquela mesma noite foram à delegacia, no carro onde cometeram o crime, para abraçar nossa família e prestar condolências. Inesquecível para todos os presentes, o momento em que o criminoso aperta Raul num abraço dizendo: “Força, cara. Eu estou aqui”. E sai de lá recomendando à produtora Marcela Honignan que o avisasse da hora do enterro, porque fazia questao de estar do meu lado! Certos de que a encenação tinha sido perfeita, foram pra casa e dormiram tranquilamente, até serem acordados pela policia, na manhã seguinte.

  Dany morreu por volta das 21.30, segundo a perícia. De acordo com a planilha de entrada e saída de veículos, ela saiu do estacionamento por volta das 21.10. São 6 minutos da Tycoon até o matagal onde o corpo  foi encontrado. Desconte ainda o tempo no posto de gasolina.  E a hora da morte foi registrada em torno das 21.30. Foi uma execução.

Ambos reivindicaram o direito de “só falar em juízo”, e se negaram a fazer a reconstituição de todas as versões mirabolantes que contaram. Durante os cinco anos de espera pelo julgamento, testaram inúmeras e diversas versões através da imprensa, enquanto tinham os pedidos de habeas corpus negados por todas as instâncias do judiciário.

De nada adiantaram as versões fantasiosas: em 1997 foram julgados e condenados por homicídio duplamente qualificado: motivo torpe e através de meio que tornou impossível a defesa da vítima.

Na sentença de Paula Thomaz, julgada em data posterior à dele, o juiz registra com todas as letras a premeditação:acordando com terceiro o cometimento do crime”.

Assista o video
Compartilhe
Share on Facebook0Tweet about this on Twitter0Share on LinkedIn0Email this to someone

, , , , , , , , ,

107 Responses to O CRIME

  1. Tânia Aparecida Ribeiro 23/02/2021 at 12:06 am #

    https://g1.globo.com/sp/ribeirao-preto-franca/noticia/jovem-morta-por-ciumes-em-franca-sp-teve-traumatismo-craniano-aponta-laudo.ghtml
    Foram cruéis. Minha filha é muito amada e querida na cidade.

  2. Tânia Aparecida Ribeiro 22/02/2021 at 11:26 pm #

    Meu nome é Tânia Ribeiro e tiraram a vida de minha filha com a mesma crueldade que tiraram da Dani. O crime foi em 2017 e o juri em 2020. Por unanimidade o júri condenou o casal com todas as qualificadora,porém o juiz tirou o dele da reta pois a mãe da assassina é advogada e o irmão envolvido com tráfico.
    Juiz medroso deu a sentença de 13 anos,mas o MP recorreu. Minha filha era linda como a Dani, 21 anos. Me mataram em vida. https://www.gcn.net.br/noticias/372879/opiniao/2018/03/monstruoso-de-qualquer-jeito

  3. ANA THEREZA F. S. DE CASTRO 22/02/2021 at 6:50 pm #

    Tenho 60 anos e três filhas, moro no interior paulista e quando aconteceu o crime eu tinha 32 anos. Assistia à novela, então fiquei extremamente triste e chocada assim como o Brasil inteiro ficou. Se não fosse esse Blog eu não saberia nem um décimo de toda covardia e violência que envolveu o assassinato da Daniella Perez. Na época não tive acesso a todas essas informações, porém sempre que via alguma reportagem com você, Gloria Perez, automaticamente já lembrava da Daniella e do crime, mas nunca tinha ido atrás de fazer uma pesquisa para relembrar o caso, até que no ano passado, eu conheci uma mulher de Franca/SP que teve sua única filha de 21 anos, assassinada de maneira covarde e brutal, por um casal de namorados e ajudados por um comparsa amigo deles, sendo que o assassino era conhecido da vítima pois já tinha tido um breve relacionamento com ela… motivo: ciúme, inveja e crueldade da assassina que era uma estudante de direito na época do crime. Na hora me lembrei do crime da Daniella Perez por ter identificado várias coisas em comum… a partir daí comecei a pesquisar no Google, Instagran e Facebook, até que encontrei esse Blog que conta tudo de uma forma verdadeira e esclarecedora. Já li e reli nos mínimos detalhes umas cinco ou seis vezes. Bendita seja a Internet com a qual você pode manter viva a memória de sua filha (quando que os assassinos, naquela época, poderiam sonhar que teríamos uma ferramenta como essa, que nos esclarece e atualiza sobre absolutamente tudo, inclusive sobre como estão e o que fazem hoje em dia… É Gloria Perez, como você disse em uma de suas inúmeras entrevistas, a justiça foi benevolente demais com os criminosos mas eles ficaram com a marca de assassinos gravada na testa de cada um e na minha opinião, esse é o verdadeiro castigo para os criminosos, pois aonde quer que apareçam são sempre hostilizados e chamados de assassinos!!! Pode virar pastor, pode querer ter vida boa em Copacabana, mas esse “fantasma do passado” irá acompanhá-los por toda suas vidas, por terem sujado as mãos com o sangue da Daniella!!! Me admira muito essa igreja aceitar como pastor um assassino mentiroso, já que nunca contou a verdade sobre o fato, pelo contrário, inventou várias mentiras querendo denegrir a imagem da Daniella, como se a culpa pela barbárie fosse dela. Deus abençoe infinitamente você, mãe sofrida, incansável e investigadora, os policiais de bem que ouviram a confissão informal da assassina, os advogados de acusação e promotor que foram brilhantes, o Dr. Hugo da Silveira (in memorian), que ao meu ver foi a peça fundamental para o esclarecimento e elucidação desse crime hediondo (se não fosse a mão de Deus colocá-lo naquele lugar, naquela hora e tê-lo iluminado para voltar e anotar as placas, talvez esse seria mais um crime sem solução e os assassinos poderiam estar por ai, até hoje, sem serem descobertos) e os frentistas que embora não fizeram nada para ajudar a Daniella naquele momento (chamar a polícia imediatamente e relatar o que viram, já que sabiam o nome dela e do agressor) e que graças à sua insistência resolveram depôr sobre o que viram…

  4. Adilson mamedes 07/02/2021 at 3:26 am #

    Nossa acho tão triste tudo isso dia 10 desse mês faz um mês que eu perdi praticamente uma filho de minigite sinto tanta dor até hoje tento me manter forte na frente das pessoas mais e tão difícil as vezes penso em fazer um loucura realmente não sei até quando eu vou aguentar lidar com essa situação imagino vc

  5. Thatiana 06/09/2020 at 11:09 pm #

    Só n entendo pq os frentistas n fizeram nada para defende-la. Viram toda a interceptação e não fizeram nada? N deu pra gritar,chamar a polícia,enfim,fazer alguma coisa pra evitar? Que pena que n deu tempo dela contar pra vc o assédio que ele estava fazendo a ela…

  6. Reinaldo Jr 08/08/2020 at 10:55 pm #

    Virou evangélico e acha q se livrou da punição espiritual? Vai nessa, amigão..o teu tá guardado, evangélico ou não.

Leave a Reply

Powered by WordPress. Designed by Woo Themes