Guilherme de Pádua está de volta – Sidney Rezende

Patética a “entrevista” do ator e condenado pelo assassinato da atriz Daniella Perez, Guilherme de Pádua, ao apresentador do “SBT” Carlos Massa, o Ratinh.o O Guilherme que se apresentou para as lentes da TV está sadio, com um ótimo aspecto físico, cabelo engomado, barba feita e tranquilidade inquietante.

Chama a atenção que consiga transmitir tanta vida, sorriso largo e charme, mesmo tendo protagonizado um crime tão perverso. Tirou uma vida, mas pelo visto ganhou outra para si, muito melhor do que já tivera.

Como jornalista não posso me opor ao direito dele se expressar. E nem de Ratinho, ou qualquer outro, de entrevistá-lo. Guilherme de Pádua foi preso, condenado, cumpriu pouco menos de 7 anos de prisão, como estabelecia a lei da época, e está de volta. Só não dá para esquecer que um dia depois da morte de Daniella Perez ele estava consolando a mãe, que não sabia que aquele rapaz que dava os pêsames era o algoz da filha.

Dezoito anos depois, o canastrão volta para recuperar o seu lugar “perdido” na mídia. Ele e sua então esposa, Paula Thomaz, foram condenados por matarem Daniella Perez com 18 golpes de tesoura. Uma brutalidade resumida a oito perfurações no peito, quatro no pescoço e seis nos pulmões. Marcas de violência em outras partes do corpo. Desfiguraram o corpo da moça.

Voltemos ao presente. Por que foi um teatro patético? O programa apresentou o caso aos espectadores frisando que Guilherme de Pádua se converteu à palavra de Jesus. Uma expressiva parte do público não era nem nascida quando Guilherme e Paula atraíram Daniella para sua morte. Para estas pessoas ainda vale a “dúvida”. Para quem tem mais idade torna-se difícil o perdão.

O apresentador perguntou a razão que fez com que Guilherme de Pádua matasse sua colega de novela, filha da autora Glória Perez. Depois de gastar todo o tempo do programa, se deliberadamente ou não, se já predisposto a isso desde o início ou não, pouco importa. O fato é que ele não respondeu. E disse que não faria por temer ser processado novamente pela Justiça. Claro, o ator foi para fazer cena, armar a volta por cima e não em busca da verdade. Prefere viver no seu planetinha particular.

No entanto, desdenhou, sorriu, enrolou, representou e deixou ainda mais profunda a certeza de que possui um caráter em desvio desde nascença.

Durante a entrevista, Ratinho pergunta se ele pensa em pedir desculpas à mãe da vítima. Ele diz que sim. Na sequência do bloco, ele relembra sua vida de palco e diz que em todas as peças que trabalhou tirou a roupa. E por exercer o ofício já beijou homem, mas de boca fechada. “De boca fechada, Ratinho”, disse divertido.

No dia que Daniella Perez foi assassinada, Guilherme de Pádua enterrou a sua maior ambição. Ele almejava ascender na carreira ao atrair para sua órbita a filha da autora. Só não contava com a ira, o ciúme doentio e a truculência da sua própria mulher, inconformada com a proximidade “perigosa” do casal.

O crime foi monstruoso. Não merece show na TV. Pela alma de Daniella que precisa descansar e por respeito a família e amigos da vítima. Ratinho perdeu a oportunidade de enquadrar o autor de um crime tão hediondo. A ida à TV foi um prêmio. E ponto final.

Compartilhe
Share on Facebook0Tweet about this on Twitter0Share on LinkedIn0Email this to someone

53 Responses to Guilherme de Pádua está de volta – Sidney Rezende

  1. Marcos Garcia 05/12/2015 at 3:44 am #

    Hoje estava conversando com um colega de trabalho sobre este caso. Havia uma musica tocando no local onde estavamos e lembrei que era da novela Corpo e Alma. Disse a ele: “as pessoas da nossa era toleram demais o erro dos outros”. Ele me disse: “mas temos que perdoar e nao podemos condenar.” Ele disse de maneira genérica, o que eu refutei e condenei: “voce fala isso porque uma filha tua nunca foi molestada”. A coisa muda de figura quando a vitima somos nos. Dei minha opiniao categorica sobre o assunto: “a melhor lei que foi inventada e a Lei de Taliao.” Se a dor que causamos ao proximo fosse a nossa propria condenação, o mundo seria menos injusto”.

  2. Fernando 18/12/2012 at 11:39 am #

    “Devolvam a moça”…
    A justiça nem existe aqui no Brasil.
    Devolvam a moça.
    Justiça se faz com igualdade.
    Então me digas quando a vítima terá o direito de tomar um simples copo dágua? Nunca mais.
    Eu aqui do meu Maranhão venho repudiar as seguidas entrevistas que se repetem no ar.
    DEVOLVAM A MOÇA ENTÃO.
    Devolva o direito de respirar igualmente nós.
    Se voce tirou uma vida, a justiça será feita se pagar uma vida também.
    Um abraço a mãe da moça.
    Triste.

  3. li kesley 07/12/2012 at 7:37 pm #

    Tenho 21 anos, fiquei sabendo de como, e quem matou Danniela Peres a uns 5 dias atras… Fiquei muito chateado ao saber que os assassinos vivem numa boa, que no cumpriram a pena que lhe foram dadas… Como Renato Russo escreveu em uma de sua musicas …”…que país é esse…”
    Que país é esse que deixa assassinos a solta no meio de pessoas inocentes…
    Que país é esse que tendo provas, testemunhas e etc… deixa pessoas, monstros, que mataram friamente, brutalmente, uma menina que estava inconsciente, sem ideia do que i lhe acontecer, de que nao ia ter como se defender da violencia de que lhe estava acontecendo,
    e o pior… sem saber se ia poder seguir em frente com seus sonhos, sem danças, sem filhos, sem personagens a interpretar…
    Realmente muito triste… poderia escrever um livro do que penso a respeito desse caso…
    fico mais triste ainda em saber que nunca vou conhece-la e vê-la atuando…

Leave a Reply

Powered by WordPress. Designed by Woo Themes