Archive | Júri

Videos e documentos relativos ao julgamento

O CRIME

A motivação: ambição, ganância A premeditação foi reconhecida pelo júri e expressa com clareza na sentença: “ajustando com terceira pessoa  o cometimento do delito”   O crime:  Um ator medíocre, em busca do estrelato. Escolhido para um papel secundário na novela das 21 horas, onde faria o elemento atrapalhador do romance de Yasmin (Daniella Perez) e […]

92

A sentença de Guilherme de Pádua

A defesa lançou mão de todos os recursos para adiar o julgamento. Só 5 anos depois aconteceu o Juri: durou tres dias. Na época, se a pena  fosse maior que 20 anos, havia automaticamente outro Julgamento!  Para evitar  isso, os juizes costumavam substituir a pena máxima (30 anos) por 19 anos e alguns meses. O reu […]

186

A emboscada e o soco

Daniella sofreu uma emboscada na saída de um posto de gasolina ao lado do estúdio, onde parou para abastecer o carro. Com um soco que a desfaleceu, Guilherme de Padua a atirou no santana dirigido por Paula Thomaz. No dia seguinte ao crime, recebi na minha casa o telefonema de uma mulher que não quis […]

141

A adulteração da placa

A perícia classificou como “perfeita”a adulteração da placa do carro dirigido pelos assassinos, transformando o L em O.  No dia do crime, Guilherme de Pádua foi ao estúdio dirigindo o carro do sogro, e não o seu. Clique na imagem para ver em tamanho grande: O perito Mauro Ricart fala sobre a adulteração da placa […]

49

Guilherme de Pádua: a psicopatia no Tribunal do Juri

Durante o julgamento, o advogado Arthur Lavigne sublinha a psicopatia de Guilherme de Pádua. Na sentença, o juiz ressalta as características do psicopata ao descreve-lo. A imprensa também registrou a frieza e o cinismo com que se portou no banco dos réus, e a impressão que esse comportamento causou aos que assistiram ao Júri. Desde […]

198

Antonio Clarete: a lavagem do carro

Quando a polícia trouxe Guilherme de Pádua para a delegacia o sogro o acompanhou, dirigindo o santana onde Daniella havia sido  ferida. Polícia, perícia, imprensa e pessoas presentes, puderam constatar que o carro havia sido lavado por um profissional. Os porteiros do prédio de Guilherme de Pádua também confirmam em seus depoimentos que, na noite […]

22

Mauro Ricart e o querosene

  Quando consegui localizar Antonio Clarete, o frentista que havia lavado o carro do assassino logo depois do crime, e retirado o sangue que se encontrava no banco traseiro, tive um encontro com o dr Mauro Ricart, diretor do ICE, em companhia do meu advogado Arthur Lavigne, para pedir a ele que a policia localizasse […]

2

Arthur Lavigne e a “inocencia”de Paula Thomaz

Em juízo, Paula Thomaz negou a confissão feita anteriormente a delegados e policiais: naquele dia tinha ficado 8 horas dentro do barrashopping, esperando Guilherme de Pádua terminar de gravar para ir busca-la. Não fez nenhuma compra, não apresentou nenhuma comprovação que sustentasse o álibi. Também disse que não perguntou nada ao marido quando este foi […]

4

A arma do crime não foi tesoura: foi punhal

Desde o início das investigações, os peritos deixaram muito claro que a arma do crime não foi uma tesoura: foi  punhal. O laudo da perícia revela que os ferimentos que atingiram Daniella foram feitos por instrumento-pérfuro cortante com dois gumes. As perfurações encontradas na blusinha de malha que ela usava, mostram que o instrumento não […]

16

Powered by WordPress. Designed by Woo Themes