DE CORPO E ALMA-Fabricio Carpinejar

Nesse país, se você não acredita em Deus não pode acreditar em coisa alguma. Só a crença na justiça divina para aliviar a inexistência penal brasileira. A vida aqui vale muito pouco. Não vale nada, na verdade. Você pode agredir e logo estará solto, você pode matar e logo estará solto, você pode roubar e logo estará solto. Legalizamos a impunidade. Legalizamos a imoralidade. 

Há 25 anos foi assassinada brutalmente a atriz Daniella Perez, com dezoito tesouradas. Por ganância covarde. 

Seus assassinos - Guilherme de Pádua (também ator e ressentido com sua pouca participação na novela em que atuava com Daniella) e esposa Paula Thomaz - já estão livres. Na prisão, cumpriram apenas sete anos de uma pena de 19 anos. Em solo americano, receberiam no mínimo prisão perpétua, pela gravidade da tocaia, detalhadamente premeditada, e pela crueza da morte, com requintes de crueldade. 

Foi um dos finais de ano mais tristes de minha adolescência, porque admirava Daniella, tínhamos quase a mesma idade na época. Era um espelho de vivacidade e carisma, reconhecida como a namoradinha do Brasil. 

Nunca mais confiei na Justiça desde então. 

Não dá para imaginar o que ainda sofre a sua mãe, a escritora Glória Perez, talvez uma das mulheres mais fortes e resilientes que já atravessaram as minhas palavras, pois ela não baixou a cabeça, transplantou o coração para o trabalho e seguiu escrevendo e colaborando para a televisão. Qualquer um desistiria de seu ofício e de frequentar o meio profissional onde aconteceu a tragédia. Menos Glória Perez. 

O tempo não passou para ela. O tempo permanece vivo dentro dela. Pelo menos, o tempo do amor ninguém pode matar. 

Queria ter um por cento de sua fibra. Um por cento de sua oração. Um por cento de sua fé. 

A novela em que Daniella estrelava quando morreu tinha um nome emblemático: De Corpo e Alma (1992). Exatamente o que devemos para Glória Perez. Corpo e Alma. Ambos arrancados por uma tesoura que desconhecia o longo, o difícil e o delicado bordado materno necessário para tecer uma vida.

Compartilhe
Share on Facebook0Tweet about this on Twitter0Share on LinkedIn0Email this to someone
Comments are closed.

Powered by WordPress. Designed by Woo Themes