O Interrogatório de Paula Thomaz

O interrogatório de Paula Thomaz (hoje Paula Nogueira Peixoto), foi um show de cinismo dissimulação! Prato cheio para psiquiatras dedicados ao estudo de mentes criminosas.

As duas expressões mais repetidas por ela: “nao me recordo“e “estava dormindo“. Faltou pouco para que o juiz perguntasse se  conhecia ou já tinha ouvido falar em Guilherme de Pádua.

Apesar dos sabidos e divulgados antecedentes de PHD em depravação, a que fez juz dentro da cadeia, Paula Thomaz, no Juri, tentou passar, de si, a imagem de mocinha abobalhada. Não faltou nem a voz tatibitati.

De tal maneira era insustentável protestar por sua inocencia, que muitos advogados e juizes presentes na assistencia, apostavam que ela iria confessar, apresentando uma nova versão. Engano. Paula Thomaz estava muito confiante no poder economico que já lhe proporcionara tantos benefícios desde o cometimento do crime. E aferrou-se ao álibi do Barrashopping, que ela e o cúmplice haviam elaborado quando ajustaram o cometimento do crime.

O Interrogatório:

Compartilhe
Share on Facebook0Tweet about this on Twitter0Share on LinkedIn0Email this to someone
No comments yet.

Leave a Reply

Powered by WordPress. Designed by Woo Themes